Inovação, tecnologia e sociedade

Inovação, tecnologia e sociedade

Mestrado

Nesta modalidade são duas imersões presenciais em Portugal mais a apresentação da dissertação. O programa de mestrado lato sensu irá oferecer a oportunidade de aprender na melhor universidade de Portugal, com seminários, relatórios, artigos, orientações,participação em grupos de trabalho, inserções, vivência e publicação em revistas científicas, voltado aos profissionais, aliando o teórico e prático com diploma já reconhecido pela UFPR no Brasil.

PROGRAMA ESPECIAL DE MESTRADO INTERNACIONAL

CONSTRUÇÃO DO MODELOINSTITUTO IDEIAS BRASIL – UNIVERSIDADE DE AVEIRO.

PROGRAMA DIFERENCIADO PARA PROFISSIONAIS.

IMERSÕES DE UM MÊSPOR ANO DURANTE OS MESES DE RECESSO ESCOLAR – JULHO EAGOSTO, COM DUAS IMERSÕES E APRESENTAÇÃODE DISSERTAÇÃO.

DE JULHO DE 2019 AJULHO DE 2021.


 

A. MESTRADO EM INOVAÇÃO, TECNOLOGIA E SOCIEDADE

 

PARCERIAS INSTITUCIONAIS:

- UNAVE - Associação para a Formação Profissional e Investigação da UA Universidade de AveiroPortugal;

- SCIENTECH – Sistema de Informação Educação e Tecnologia;

- AGÊNCIA DEINOVAÇÃO DA UFPR -Universidade Federal do Paraná.

 

OBJETIVO:

O objetivo é atendera demanda reprimida multiformacional, ou seja, profissionais com formação acadêmica lato sensu diversa, nas áreas das ciências humanas, sociais aplicadas,da saúde jurídicas, tecnologias e engenharias, que necessitam de alternativas educacionais inovadoras e possibilitadas por instituições conceituadas e reconhecidas, para continuar os estudos, desenvolvendo novos conhecimentos e alternativas para sua aplicabilidade.

Trabalho final do curso:dissertação ou projeto. (*).

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: “INOVAÇÃO, TECNOLOGIA ESOCIEDADE”

Linhas de pesquisa: inovação e tecnologias em educação; Inovação e tecnologias em agronegócios; Inovação e tecnologia sem saúde; Inovação e tecnologias em turismo; Inovação e tecnologias em cidades inteligentes;Inovação e tecnologias em administração pública; Inovação e tecnologias em gestão de negócios e novos empreendimentos.

 

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS:

 

ATIVIDADES PROGRAMADAS

- Seminários de formação;

- Seminários de inovação e novas tecnologias;

- Seminário gestão e sociedade;

- Estudos e relatórios;

- Artigos;

- Orientação para realização de projetos;

- Participação em grupos de trabalhos;

- Imersão e vivência;

- Publicação em revistas.

 

(*) Desenvolvimento dos conhecimentos com suporte daAcademia considerando alternativas para aplicação dos projetos, entre as quais,o PCI – Parque de Ciência e Inovação/Creative Science Park – Scientech.

 

DISCIPLINAS:

 

PRIMEIRO  MÓDULO

1 Seminário  de Integração e Orientação - http://www.ua.pt/ensino/uc/4607

2 Instituições  e Organizações - http://www.ua.pt/ensino/uc/6070

3 Gestão do  Conhecimento - http://www.ua.pt/ensino/uc/4382

4 Economia  da Inovação - http://www.ua.pt/ensino/uc/4316  

5 Energia e  Ambiente - http://www.ua.pt/ensino/uc/4096

 

SEGUNDO  MÓDULO

6 Governo,  Democracia e Globalização - http://www.ua.pt/ensino/uc/4386

7 Sociologia  e Economia do Desenvolvimento Sustentável -  http://www.ua.pt/ensino/uc/4544

8 Governo  Digital - http://www.ua.pt/ensino/uc/5941

9 Eco design  e Eco eficiência - http://www.ua.pt/ensino/uc/3142

10 Ambiente e  Estratégias de Desenvolvimento - http://www.ua.pt/ensino/uc/4226

11 Seminários  - EAD

12 Trabalho  de conclusão de curso

 

1. SEMINÁRIO DE INTEGRAÇÃO E ORIENTAÇÃO

Para mais informações, acesse: http://www.ua.pt/ensino/uc/4607.

 

2.INSTITUIÇÕES E ORGANIZAÇÕES:

 

OBJETIVOS:

Este programa de formação foi elaborado em torno de um conjunto de propostas teórico-conceituais que cobrem três dimensões ‘tradicionais’ da pesquisa sobre as instituições e organizações públicas: a dimensão regulação, a normativa e a cultural-cognitiva. A análise delas é perspectivada não só ao nível macro, mas também aos níveis meso e micro sistêmicos. Neste último caso, enfatiza-se um conjunto de teorias organizacionais que desenvolveram as suas propostas num continuum entre o regime burocrático de regulação, controle das atividades e dos atores institucionais e, por fim, o regime de autorregulação e de autocontrole. Neste contexto, procura-se contribuir para capacitar os estudantes de mestrado no acesso à modelos e instrumentos de análise que lhes permitam:

i)             Compreender o impacto do meio institucional na estruturação das organizações públicas;

ii)           Compreender as ações que as organizações públicas desenvolvem na recepção, interpretação, respostas e implementação das políticas governamentais;

iii)         Analisar as eventuais mudanças (adaptação e/ou respostas ativas) nas estruturas, processos e nos profissionais organizacionais.

 

CONTEÚDOS

Tema 1. Os conceitos: instituição, organização, campo organizacional e meio institucional.

Capitalismo, racionalização das sociedades e a metáfora da ‘gaiola de ferro’: o tipo-ideal burocrático (Weber);

Tema 2. Instituições e organizações públicas em uma encruzilhada: entre o regime ‘weberiano’ (M. Weber) e o controle panóptico (M. Foucault);

Tema 3. O regime ‘weberiano’ revisitado – institucionalismo, novo institucionalismo e neo-institucionalismo;

Homogeneidade e diversidade organizacional: o isomorfismo competitivo e o isomorfismo institucional;

Construção, manutenção/mudança e difusão das instituições:institucionalização e ‘desinstitucionalização’ (Scott);

Tema 4. Mercado/quase-mercado, ‘managerialismo’/nova gestão pública e reconfiguração do setor público;

As tentativas de desmantelamento do regime burocrático-profissional do estado providência: retórica, novas formas organizacionais e tecnologias de controle das instituições e dos profissionais;

Tema 5. Trabalho, profissões e organizações no setor público;

O conceito de profissão, profissionais e profissionalismo. Desafios ao profissionalismo na atualidade. A possibilidade de processos de desprofissionalização e proletarização.

 

AVALIAÇÃO

- Apresentação e discussão da análise de um texto científico (facultado pelos docentes) sobre um dos temas da disciplina (30%) em grupo de três elementos;

- Trabalho escrito final (de grupo) com base na análise crítica do artigo (40%).

- Teste constituído por um ensaio curto sobre uma questão geral relacionada com os temas do programa.

 

METODOLOGIA

A disciplina funciona com base na modalidade de seminário. As primeiras sessões são reservadas para a transmissão de informação e a sistematização do conhecimento científico por parte dos docentes. As sessões seguintes são desenvolvidas com base na análise coletiva de artigos científicos, relacionados com cada um dos temas e sub-temas propostos no programa da disciplina.

 

3. GESTÃO DO CONHECIMENTO

 

OBJETIVOS:

A gestão do conhecimento é uma abordagem multidisciplinar à criação de riqueza, a partir dos ativos intangíveis de um indivíduo, de uma organização ou de uma comunidade. Em uma época em que se considera que a renovação estratégica é a chave de resposta à rápida mutabilidade ambiental, e que a aprendizagem organizacional é a forma privilegiada de a conseguir, fica óbvio o interesse dedar à temática da gestão do conhecimento um tratamento privilegiado.

Os objetivos da disciplina são:

- Discutir a natureza do conhecimento e as distinções entre conhecimento, informação e dados;

- Abordar e discutir os processos pelos quais o conhecimento é adquirido/gerado, codificado, interpretado, partilhado, distribuído, guardado,acedido e alavancado;

- Apresentar e discutir as estratégias e os processos que as organizações utilizam para gerir o conhecimento;

- Apresentar e discutir os diversos níveis a que se processa a gestão do conhecimento;

- Discutir as questões e os desafios que se colocam na gestão do conhecimento;

- Discutir as tecnologias em que se alicerçam muitos sistemas de gestão do conhecimento;

- Criar competências que permitam, planear, implementar e avaliar sistemas de gestão do conhecimento.

 

COMPETÊNCIAS

A frequência desta unidade curricular deverá capacitar o aluno para:

- Conseguir discutir a natureza do conhecimento e as distinções entre conhecimento, informação e dados;

- Perceber e ser capaz de discutir os processos pelos quais o conhecimento é adquirido/gerado, codificado, interpretado, partilhado,distribuído, guardado, acedido e alavancado;

- Perceber e conseguir debater as estratégias e os processos que as organizações utilizam para gerir o conhecimento;

- Perceber e conseguir discutir os diversos níveis a que se processa a gestão do conhecimento;

- Perceber e formar argumentos sobre as questões e os desafios que se colocam na gestão do conhecimento;

- Perceber e conseguir discutir as tecnologias em que se alicerçam muitos sistemas de gestão do conhecimento;

- Perceber e ser capaz de iniciar e participar em projetos de desenho,implementação e avaliação de sistemas de gestão do conhecimento.

 

 

CONTEÚDOS

- Programa resumido;

- Contexto atual das organizações e gestão do conhecimento;

- Metodologias e técnicas de investigação básicas em gestão do conhecimento;

- Natureza do conhecimento e da gestão do conhecimento;

- Aprendizagem;

- Perspectivas para a gestão do conhecimento: processos e interações;

- Processos e interações em gestão do conhecimento;

- Fatores com impacto na aprendizagem organizacional e na gestão do conhecimento;

- Alavancagem do conhecimento organizacional;

- Avaliação do conhecimento organizacional;

- Ferramentas e tecnologias para gestão do conhecimento;

- Gestão de conhecimento: do indivíduo ao território.

 

4. ECONOMIA DA INOVAÇÃO

 

OBJETIVOS

Aprofundar o saber sobre aspectos centrais de inovação e suas implicações na economia.Desenvolvimento de técnicas quantitativas, espírito crítico e analítico noâmbito dos temas abordados.

 

COMPETÊNCIAS

Compreender a rationale teórica, medir e aplicar indicadores no âmbito da temática, para estudar os determinantes de inovação e suas relações com o crescimento, emprego e internacionalização. Compreender a rationale e as formas de avaliação de política, e assim criticar de forma fundamentada as políticas públicas.

 

CONTEÚDOS

1. Introdução:

1.1. Conceitos:inovação e difusão;

1.2. Conhecimento e inovação;

1.3. Taxionomia de inovações.

 

2. Conceitos e indicadores fundamentais:

2.1. Indicadores;

2.2. Fontes e obtenção de informação.

 

3. Teorias e determinantes da inovação:

3.1. Fundamentos do evolucionismo moderno;

3.2. Determinantes setoriais. A taxonomia de K. Pavitt de padrões setoriais de inovação;

3.3. Determinantes espaciais e territoriais do processo de inovação;

3.4. Determinantes institucionais do processo de inovação;

3.5. Conceito de sistemas de inovação.

4. Determinantes microeconómicos da inovação:

4.1. Dimensão e inovação;

4.2. Capital humano e inovação;

4.3.Internacionalização e inovação.

 

5. Política pública e inovação:

5.1. Fundamentos;

5.2. Instrumentos;

5.3. Política EU ePortugal.

 

6. Análise das evidências empíricas no contexto do universo de países OCDE.

 

5. ENERGIA E AMBIENTE

 

OBJETIVOS

A compreensão do binômio energia-ambiente é hoje essencial para apreender o significado do conceito de desenvolvimento sustentável. Neste âmbito, pretende-se, em primeiro lugar,fornecer uma visão dos panoramas energéticos mundial, europeu e nacional. A questão do desenvolvimento sustentável e, em particular, a problemática das alterações climáticas são discutidas e são apresentados instrumentos de política ambiental, nomeadamente convenções fundamentais como o Protocolo de Kyoto e documentos como o Livro Verde da Energia. Em seguida, relaciona-se os conceitos fundamentais de energia, entropia e energia, integrando-os em conceitos termo econômicos. Pretende-se ainda apresentar diferentes combustíveis e sistemas de conversão de energia disponíveis, referindo igualmente sistemas de acumulação energética e tecnologias de conservação de energia.

 

COMPETÊNCIAS

Pretende-se que o aluno seja capaz de:

i)             Identificar,analisar e interpretar as principais inter-relações entre o setor energético,meio ambiente e economia;

ii)           Identificar diferentes tipos de recursos energéticos e tecnologias de conversão, e seus impactos ambientais;

iii)         Efetuar análises energéticas e simplificadas aplicadas a equipamentos e sistemas de conversão de energia.

 

CONTEÚDOS

1. A energia em contexto. Uso de energia e ambiente. Padrões de uso de energia. Importância do petróleo. Ciclo de vida dos combustíveis fósseis. Estatísticas de energia:petróleo, gás natural, carvão, energia nuclear, renováveis, energia primária. Apolítica energética portuguesa e da União Europeia. A situação energética dePortugal.

 

2. Economia aplicada à engenharia. Engenharia e finanças. O juro. O juro simples e juro composto.Definições. Fatores de juro: f/p e p/f; f/a e a/f; p/a e a/p; GPWF; EPWF. Pagamentos periódicos em progressão aritmética. Pagamentos periódicos em progressão geométrica. Obrigações. Diferentes frequências de pagamentos e de capitalização. Taxa de juro equivalente. Alterações a meio do percurso.Capitalização contínua. Cálculo do período de retorno. Custos de conversão de energia. Terminologia usada em conversão de energia.

 

3. Energia e energia. Conceito de energia e potência. Conversão de energia entre diferentes formas. Economia e energia. Conceito de volume de controle. Lei da conservação da massa. Primeira Lei da Termodinâmica aplicada a um volume de controle.Segunda Lei da Termodinâmica aplicada a um volume de controle. Balanço de entropia. Princípio do aumento da entropia aplicado a um volume de controle.Energia: o potencial de trabalho da energia. Trabalho reversível e irreversibilidade. Rendimento em relação à Segunda Lei da Termodinâmica.Variação de energia de um sistema. Energia de sistemas fechados. Energia de um escoamento. Análise exegética aplicada a um volume de controle. Princípio do aumento da energia e geração de energia. Balanço energético. Combustão.

 

6. GOVERNAÇÃO, DEMOCRACIA E GLOBALIZAÇÃO

 

OBJETIVOS:

- Dar uma visão da estrutura evolutiva da administração pública e dos problemas e desafios que enfrenta, à luz da crise do estado providência;

- Apresentar os fatores condicionantes das reformas da administração pública;

- Promover um mais completo entendimento do âmbito e fronteiras das funções do Estado em um mundo cada vez mais globalizado;

- Compreender os conceitos chave de gestão pública e governança;

- Perceber como o que isso significa passar da orientação para a legislação para do cidadão;

- A nossa ênfasecentrar-se-á, contudo, na clarificação de alguns pontos essenciais para a melhoria dos serviços públicos de forma a ganhar a aposta na qualidade. Não basta entender como funciona a administração pública, importa igualmente desenvolver uma nova atitude em relação à “coisa pública”: de maior exigência e rigor em relação às pessoas e ao serviço público prestado aos cidadãos que o financiam.

 

COMPETÊNCIAS:

- Conhecer as principais dinâmicas e teorias associadas aos movimentos de globalização,alter-globalização e antiglobalização;

- Compreender as diferentes dimensões inerentes aos conceitos de qualidade de democracia e boa governança;

- Identificar as principais tendências de reforma e continuidade da administração pública no mundo ocidental e em Portugal;

- Entender o âmbito e fronteiras das funções do Estado em um mundo cada vez mais globalizado e interdependente.

 

CONTEÚDOS

I. Desafios da globalização:

Forças de globalização;

Resistências de localismo;

Movimentos antiglobalização.

 

II. Democracia:

Processos de democratização;

Crise e qualidade da democracia;

Indicadores de boa governança e transparência.

 

III. Governança pública:

Reformas e tradições da governança pública;

Hibridismo e novos modos de governança interativa;

Governança pública em Portugal em uma perspectiva comparada.

 

7. SOCIOLOGIA E ECONOMIA DO DESENVOLVIMENTOSUSTENTÁVEL

 

OBJETIVOS

A unidade curricular de Sociologia e Economia do Desenvolvimento Sustentável tem como objetivo principal abordar o conceito de desenvolvimento sustentável e explorar os desafios que este coloca às políticas públicas, da perspectiva da sociologia e da economia.Num primeiro momento, será abordada a evolução dos paradigmas de desenvolvimento, bem como a integração da componente ambiental nesses mesmos paradigmas e nas correntes teóricas da economia e da sociologia. Num segundo momento, será analisada a perspectiva local da relação economia-sociedade-ambiente-governança, com foco na agenda emergente das cidades sustentáveis e nos instrumentos de gestão e políticas públicas que possibilitam a operacionalização dos princípios do desenvolvimento sustentável ao nível local.

 

Competências

Espera-se que os alunos adquiram competências em termos de:

- Compreensão do conceito de desenvolvimento sustentável, a partir de perspectivas complementares;

- Entendimento da necessidade de integrar a perspectiva quantitativa e a qualitativa na abordagem de conceitos complexos e multi dimensionais, como é o caso do desenvolvimento sustentável;

- Compreensão e manuseamento dos instrumentos e políticas de desenvolvimento sustentável;

- Análise e compreensão da evolução das concepções de desenvolvimento e da integração das preocupações ambientais;

- Análise dos valores sociais subjacentes a diversas percepções e práticas face ao ambiente e ao desenvolvimento.

 

CONTEÚDOS

PARTE I: O complexo conceito de desenvolvimento sustentável:

1. O que é desenvolvimento sustentável?

  1.1. Conceito e desafios atuais;

  1.2. Breve história do desenvolvimento econômico;

  1.3. Breve história de um mundo desigual.

2. A evolução da agenda política internacional e a agenda 2030.

3. Teoria econômica e o ambiente.

4. A sociologia e o ambiente.

 

PARTE II – CidadesSustentáveis: desafios econômicos, sociais, ambientais e de governança:

1. Um mundo urbanizado: transformações, desafios e teorias.

2. A nova agenda urbana.

3. Instrumentos de gestão e políticas públicas do desenvolvimento sustentável;

  3.1. Os indicadores de desenvolvimento sustentável;

  3.2. As estratégicas de desenvolvimento sustentável.

 

8. GOVERNO DIGITAL

 

OBJETIVOS

Desenvolver nos alunos as capacidades que lhes permitam analisar criticamente o avanço da sociedade da informação e do governo eletrônico e o seu impacto na sociedade.

Dotar os alunos do conhecimento que lhes permita intervir ao nível do desenvolvimento de iniciativas e da pesquisa aplicada nas áreas do governo eletrônico e da democracia digital.

 

COMPETÊNCIAS

- O aluno identifica o impacto da sociedade da informação ao nível da administração pública e do processo democrático e reconhece os contributos do governo digital para o desenvolvimento e competitividade dos espaços geopolíticos;

- O aluno analisa criticamente a evolução da sociedade da informação e do governo digital em Portugal e na União Europeia;

- O aluno identifica as principais áreas de desenvolvimento e linhas de investigação do governo eletrônico a nível internacional, aborda o respectivo estado da arte e contribui pontualmente para o seu desenvolvimento.

 

CONTEÚDOS

- Contexto social,político e administrativo;

- Sociedade daInformação;

- Globalização;

- Info exclusão;

- Estado em rede;

- Administração pública eletrônica;

- Definições;

- Tipos de interação;

- Prestação eletrônica de serviços;

- Informatização do back office;

- Integração e interoperabilidade;

- Aprovisionamento eletrônico;

- Avaliação e rankings internacionais;

- Segurança e cartão do cidadão;

 

09. ECO DESIGN E ECO EFICIÊNCIA

 

OBJETIVOS:

A unidade curricular de eco design e eco eficiência (EDEE) tem como principal objetivo criar nos alunos um espírito empreendedor na criação de produtos e processos sustentáveis, em linha com a tendência industrial de digitalização e circularidade. Neste âmbito, os alunos serão desafiados a desenvolver novos produtos, ou repensa-los, de modo a fazer um uso menos intensivo de recursos,dando prioridade à utilização de materiais renováveis, incluindo materiais recicláveis e/ou de base biológica, e com menor periculosidade e risco (para as pessoas e o ambiente), bem como à reutilização de materiais. O foco na“modularização” dos componentes, permitindo fácil desmontagem, recuperação,reaproveitamento e triagem no fim da vida deve ser considerado. No desenvolvimento de produto deve ter-se em consideração a definição de critérios de reciclagem, reutilização e extensão de ciclo de vida, tendo em conta possíveis aplicações úteis de subprodutos e resíduos. Adicionalmente, a procura de modelos de produção mais eficientes e mais limpos, produzindo mais, ao menor preço, com menos recursos e resíduos e menor impacto sobre o ambiente é também enfatizado. Para atingir este fim procurar-se-á promover a compreensão dos conceitos e ferramentas de eco design e de eco eficiência, e a sua aplicação nas diferentes fases de engenharia e desenvolvimento de produto, assim como introduzir as principais normas e regulamentações.

 

COMPETÊNCIAS:

Espera-se fundamentalmente que os alunos tenham interiorizado o espirito crítico e inovador em relação à forma como os produtos são produzidos, estando assim melhores preparados para o desenvolvimento de projetos de otimização de produção, de resolução de problemas nesta área tecnológica e criação de projetos de empreendedorismo que integrem filosofias de eco design e eco eficiência.

 

Conteúdos

Os conteúdos programáticos específicos a serem abordados ao longo do semestre serão:

- Desenvolvimento de produto e tendências industriais;

- Conceitos e ferramentas de eco design e de eco eficiência;

- Avaliação do ciclo de vida - Normas ISO 14040 e 14044;

- Sistemas de gestão ambiental industrial - Norma ISO 14001:2015;

- Gestão de energia da produção – Norma ISO 50001:2018;

- Lean manufacturinge outros princípios de promoção da eficiência na produção;

- Desenvolvimento de produtos e de negócios para a economia circular.

 

10. AMBIENTE E ESTRATÉGIAS DE DESENVOLVIMENTO

 

OBJETIVOS

O principal objetivo da disciplina de Ambiente e Estratégias de Desenvolvimento é facultar uma perspectiva integrada do conceito de desenvolvimento e do lugar que as questões ambientais têm ocupado nas medidas, programas e políticas que visam, às diversas escalas, desenvolver o território. Neste sentido, será abordado o conceito de desenvolvimento tendo em conta as dimensões sociais, econômicas e espaciais e a sua articulação com os aspectos ambientais, com particular ênfase nas grandes questões da atualidade (alterações climáticas, novas apostas na ‘green economy’, papel das cidades e ‘place-making’, metodologias participativas e colaborativas).

 

COMPETÊNCIAS

Espera-se que os alunos adquiram competências em termos de:

- Compreensão das relações entre os fatores ambientais e o desenvolvimento socioeconômico e territorial;

- Representação e quantificação de relação entre economia e ambiente;

- Conhecimento dos instrumentos disponíveis para a integração dos aspectos ambientais nas estratégias de desenvolvimento;

- Associação dos aspectos ambientais, com particular ênfase nas grandes questões da atualidade,desde as alterações climáticas até aos aspectos associados à 'economia verde','novo papel das cidades' e ao desenvolvimento de metodologias colaborativas e participativas à escala local.

 

CONTEÚDOS

- Estratégias de desenvolvimento sustentável – Enquadramento conceitual;

- Conceitos;

- História: as conferências mundiais e as suas repercussões;

- Medidas, programas e políticas – Da escala europeia à escala local;

- Nova agenda europeia (Europa 2020): a questão das alterações climáticas e econômicas debaixo-carbono;

- O papel das cidades no desenho de estratégias de desenvolvimento sustentável;

- Estratégias de desenvolvimento sustentável – Enquadramento operativo;

- Instrumentos de gestão ambiental;

- Instrumentos de planejamento do desenvolvimento sustentável;

- Metodologias de concepção e implementação das estratégias de desenvolvimento sustentável à escala local (enfoques colaborativos e participativos);

- Análise crítica de experiências de aplicação dos conceitos: agenda local 21, planos municipais de ambiente, orçamentos participativos, planos diretores municipais.

 

Data de início:
Data de encerramento:
Carga horária:
Valor:

ACERVO TÉCNICO

Para saber mais informações a respeito dos programas que oferecemos em parceria com a Universidade de Aveiro, ementas detalhadas, corpo docente, estrutura e ainformações técnicas dos cursos e instituição, baixe o arquivo completo.

BAIXE AGORA

CALENDÁRIO

Imersão em Turismo 4.0

Curso imersão

A imersão de uma semana no mercado de turismo português mostrará aos profissionais no que o Brasil ainda precisa evoluir no ramo. Segundo dados da UNWTO, Portugal, que tem cerca de 20,5 milhões de habitantes, recebe cerca de 12 milhões de turistas por ano. Já o Brasil, com 220 milhões de residentes, atrai somente cerca de 6,5 milhões no mesmo período. O curso contempla seminários, assuntos como turismo e marketing territorial, visitas técnica, eventos e jantares especiais com ciclo de seminários, intitulados “vinhos com saberes”.

Data de início:
21/7/2019
Data de término:
27/7/2019
Carga horária:
60h
Valor:
8000.00
SAIBA MAIS

Imersão em Ecossistemas para o Empreendedorismo e Inovação 4.0

Curso imersão

Voltado para empreendedores que querem fazer do seu negócio um sucesso. O curso oferece uma semana de imersão completa no mundo das empresas bem sucedidas de Portugal, com seminários, rodadas de negócios, visitas técnicas e jantares especiais com ciclo de palestras, intitulados “vinhos com saberes”.

Data de início:
21/7/2019
Data de término:
27/7/2019
Carga horária:
60h
Valor:
8000.00
SAIBA MAIS
VER TODOS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

VER TODOS

PARCEIROS

INSCREVA-SE AGORA MESMO

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.
contato@institutoideias.com.br